call.png
55 11 99567-5258 
mail.png

contato@habitarti.com.br

A ARTE CONTRIBUINDO PARA A SAÚDE MENTAL

Entrevista com: Tatiana Bianchini

Arteterapeuta, Professora de Yoga Criativo, Ilustradora, Escritora e Artista Plástica

07/08/2017

desenho1.jpg

A arte acompanha o homem desde a antiguidade, quando ele começa a produzir utensílios que não apenas tinham uma utilidade, mas havia algo que deixava a peça mais bonita ou diferente, algo de singular, que quem produziu atribuiu a ela. Ela surge também quando o homem começa a registrar nas paredes de onde vivia seu cotidiano através de desenhos.

 

A arte pode ser entendida como a atividade humana com fins estéticos ou comunicativos que pode se dar por uma séria de linguagens como a pintura, música, dança, escultura, escrita, arquitetura, teatro, cinema entre outros. A obra de arte, resultado final desta atividade, tem como objetivo expressar uma opinião ou uma ideia, atribuindo um significado único a ela. A essa atribuição de significado chamamos produção simbólica.

 

Para falar um pouco mais sobre a importância da arte para o homem, conversamos com Arteterapeuta, Professora de Yoga Criativo, Ilustradora, Escritora e Artista Plástica Tatiana Bianchini. Confira o resultado dessa entrevista:

 

Imagem27.jpg

Habitar-TI: Arte é um tema complexo, que envolve muitas facetas. Gostaria de saber para você, qual a melhor definição de arte?

 

Tatiana: Poderíamos ficar dias conversando sobre essa pergunta, existem milhões de definições e é quase impossível defini-la. É uma palavra no plural, pois envolve várias artes: música, arquitetura, cinema, audiovisuais, fotografia. São várias linguagens expressivas. É interessante a proposta que a nova LDB (Lei de Diretrizes e Bases) traz para o ensino de artes nas escolas, que passa a ser chamada de Arte Educação, quando antes era Educação Artística, e traz formas mais variadas de expressão artística e trabalha não apenas a produção, mas também a contemplação das artes.

 

Habitar-TI: Mas toda a produção humana que usa essas linguagens é arte?

 

Tatiana: O questionamento se tudo seria arte surge no fim da Segunda Guerra Mundial com movimentos a favor e movimentos contrários. Para mim, do ponto de vista do expectador, se te fez pensar, sentir ou questionar, é arte. Deixa de ser meramente decorativa e passa a ser para o pensar. Por isso acredito ser fundamental que o espectador conheça a história do autor e o contexto sociocultural e histórico de quando a obra foi produzida. Da parte do autor o que define se é arte é se fez algum sentido para ele. Quando responde positivamente à pergunta: fez sentido para você?

 

Habitar-TI: A arte é pode ter fins estéticos e comerciais, que não perdem o seu valor, mas existe também um fim terapêutico. Como você enxerga esse encontro?

 

Tatiana: As coisas podem se encontrar, na verdade elas caminham juntas. É claro que quando existe um produto final pré-determinado, a produção criativa fica um pouco bloqueada no sentido do conteúdo que é produzido. Contudo, não apenas a questão da expressão é terapêutica, a arte também trabalha a concentração, a meditação presente, como em algumas técnicas utilizadas pela Terapia Ocupacional.

 

"...não apenas a questão da expressão é terapêutica, a arte também trabalha a concentração, a meditação presente..."

 

Habitar-TI: Qualquer um pode fazer arte?

 

Tatiana: Sim, qualquer um deve fazer arte. Pelo menos experimentar as mais diversas formas de arte e descobrir qual se sente mais à vontade. Todo ser humano tem a sua linguagem expressiva, pode ser desenhar, cozinhar, fazer música e etc.

 

Habitar-TI: Do que é construído utilizando técnicas lúdicas e artísticas, como você entende o material que surge?

 

Tatiana: O objetivo principal é autoconhecimento e o material produzido diz algo do autor. Tem algumas pessoas que precisam de atividades mais guiadas, outras já gostam de produzir mais livremente, isso tem a ver com questões personalidade. Contudo, independente do processo, o material produzido muitas vezes faz algum sentido para o autor, que traz suas memórias e sentimentos em relação a ele. Algumas vezes o material ainda não faz muito sentido, mas mais tarde ele pode vivenciar algo ou voltar a entrar em contato com o material e entender o que ele produziu. A arte também ajuda a pessoa a expressar algo que ainda não conseguiu colocar em palavras, servindo como uma meio para que alguns materiais surjam e ele possa entrar em contato.

 

Habitar-TI: Esse material é importante para ele?

 

Tatiana: É importante para ele e, no caso de crianças e adolescentes, para a família, professores, e outros envolvidos. É interessante também observar como eles reagem ao material que produzem, alguns são mais críticos, outros mais desapegados e isso também diz respeito a eles.

 

Habitar-TI: Poderia nos dar algumas dicas de como podemos incluir a arte de modo mais fácil no nosso dia a dia?

 

Tatiana: É mais simples que imaginamos. Fazer passeios culturais, assistir filmes, se propor a fazer algo que nunca fez, tentar escrever, não importa se alguém vai ler. Fazer um diário, caminhar reparando nas flores, participar de atividades coletivas, fotografar. Mas para tudo, é né necessário trocar a percepção, mudar o seu olhar, estar mais presente. Uma simples caminhada pode nos trazer arte a partir do momento que contemplamos a natureza ao nosso redor. A arte promove o exercício de olhar, tanto para dentro como para fora.

 

"A arte promove o exercício de olhar, tanto para dentro como para fora."

 

Quer saber mais sobre nossa entrevista? Acompanhe-a nas redes sociais:

17554558_1471782039533217_4691197167421806794_n.jpg

Sobre o autor:

Luana da Silva Oliveira - Psicóloga Clínica e Organizacional, realiza atendimento clínico com crianças, adolescentes, adultos, casais e família.