call.png
55 11 99567-5258 

CRP/SP: 7754/J 

mail.png

contato@habitarti.com.br

AS  COMPULSÕES: DO PRAZER AO DESCONTROLE

14/09/2017

 

As compulsões, comportamentos compulsivos ou aditivos são aqueles atos que o sujeito comete que são recorrentes, excessivos, irracionais, de difícil controle e nocivos a ele mesmo. Apesar de trazerem certo alívio a uma angústia, ansiedade ou desconforto, fogem do controle desse indivíduo e acabam trazendo consequências negativas para si. As compulsões são muito comuns e, por vezes, acabam sendo fonte de renda para aqueles que vivem do “vício” do compulsivo. Fazem parte do que entendemos como comportamentos compulsivos aquelas compulsões que são também conhecidas como vícios, as adicções por drogas lícitas, ilícitas e substâncias psicoativas e os Transtornos Obsessivos Compulsivos (TOC).

 

Inicialmente fonte de prazer e alívio, muitas vezes a pessoa não percebe quando está fazendo algo de forma compulsiva. Contudo, ao longo do tempo, esses comportamentos começam a incomodar a pessoa que os comete. A partir do momento que saem do controle e começam a demandar tempo, energia, atenção e muitas vezes até dinheiro que poderia estar sendo investido de forma mais produtiva para o sujeito, o indivíduo pode começar a ter iniciativas a fim de cessar essa compulsão. As pessoas ao redor também se incomodam, começam a questionar se há algo de errado e como poderiam ajudar. O sofrimento cresce à medida que o cotidiano do compulsivo é afetado, chegando a prejudicar seu convívio familiar, o contato social, a vida profissional, entre outros.

 

São inúmeros os tipos compulsões, podemos citar:

 

  1. Drogas lícitas, ilícitas e medicações;
  2. Compulsões alimentares;
  3. Compulsões sexuais;
  4. Compulsão por compras;
  5. Compulsão por jogos;
  6. Roer unhas;
  7. Comportamentos compulsivos de automutilação.

 

target-2635030_960_720.jpg

Já os Transtornos Obsessivos Compulsivos (TOC) são composto por comportamentos, atos mentais, rituais compulsivos e regras em o sujeito se vê compelido a fazer a mesma coisa várias vezes, com a intenção de afastar ameaças, prevenir possíveis falhas ou simplesmente aliviar um desconforto físico.

 

São exemplos de comportamentos relacionados ao TOC:

 

  1. Lavar as mãos repetidas vezes para proteger-se de germes ou contaminação;
  2. Verificar repetidamente a porta, as janelas, gás, fogão;
  3. Alinhar os objetos para que fiquem simétricos ou na posição tido como correta;
  4. Acumular ou armazenar objetos sem utilidade e não conseguir descarta-los;
  5. Tocar ou olhar fixamente locais específicos;
  6. Estalar os dedos ou as articulações, sentar e levantar.

 

A busca por ajuda psicológica nesses casos muitas vezes se dá quando a compulsão já está estabelecida e os danos trazem grande incômodo e sofrimento. A psicoterapia tem uma grande importância no tratamento dessas compulsões, não apenas na busca por extinguir os comportamentos compulsivos, mas também na redução da ansiedade e angústias, pois através da fala o sujeito se dá conta de sua vida e realidade. Sendo mais capaz de se conter e se perceber, acaba por aumentar seu autocontrole e domínio de seus impulsos, podendo agora retomar uma vida produtiva e com menos sofrimento.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Leia:

Sobre o autor:

Luana da Silva Oliveira - Psicóloga Clínica e Organizacional, realiza atendimento clínico com crianças, adolescentes, adultos, casais e família.