call.png
55 11 99567-5258 

CRP/SP: 7754/J 

mail.png

contato@habitarti.com.br

PSICÓLOGO DEVE FAZER TERAPIA?

25/08/2017

 

Muitas pessoas ficam curiosas em saber se psicólogos devem fazer terapia e ficam imaginando de seu psicólogo já esteve do outro lado. É consenso entre todas as abordagens da Psicologia que para uma atuação ética, neutra e eficaz, além da dos estudos contínuos e da supervisão clínica com um psicólogo que esteja à sua frente na atuação profissional, o psicólogo deve sim fazer terapia, especialmente se for na abordagem em que atua.

 

Isso se deve por três motivos principais, primeiro para que suas questões pessoais sejam trabalhadas, pela psicoterapia como forma de aprendizado para o psicólogo e para que questões levantadas em supervisão possam ser trabalhadas. O processo deve se iniciar ainda durante a faculdade e deve ocorrer enquanto o profissional estiver atuando. Séries como Gypsy e Atypical, originais da Netflix, nos trazem exemplos do que pode ocorrer quando o profissional psicólogo não está se submetendo a terapia, onde questões do terapeuta invadem as sessões e a sua vida pessoal se confunde com a profissional.

 

  1. Questões pessoais

O psicólogo é um ser humano como outro qualquer. Devido a sua atuação, conhecer muito bem sua história e quem ele é fundamental para que entenda seus pensamentos, emoções e ações, a fim de conseguir fazer a separação do que é dele e do que do paciente. O psicólogo precisa saber porque se sente de determinada forma com um tipo específico de paciente ou situação e entender suas reações diante do que o paciente relata. Assim, o profissional irá conseguir permanecer em um posicionamento mais neutro, livre de julgamentos e censuras e seu conhecimento teórico e técnico terá mais espaço para emergir frente ao que ocorre em uma sessão.

 

  1. Psicoterapia como forma de aprendizado

A vivência de um processo de psicoterapia, principalmente no início da atuação, serve também como um laboratório para o psicólogo elaborar esse espaço e posição. Ele poderá observar as intervenções realizadas por seu terapeuta e entender os efeitos que nele surtem, bem como aumentar sua identificação com determinada linha teórica.  

 

  1. Questões levantadas em supervisão

Durante as supervisões de casos clínicos, muitas vezes surgem questões suscitadas pelos pacientes em nós, psicólogos. Cabe ao supervisor sinalizar ao supervisionando o que diz respeito ao caso atendido e o que o psicólogo dele deve trabalhar em sua própria terapia, pois não teriam relação com o paciente e sim com o próprio terapeuta.

 

A psicoterapia é uma ferramenta importante também para identificação das projeções dos pacientes na figura dos psicólogos, a contratransferência e para o entendimento e manejo da relação transferencial.

 

Sobre o autor:

Luana da Silva Oliveira - Psicóloga Clínica e Organizacional, realiza atendimento clínico com crianças, adolescentes, adultos, casais e família.